Hackathon de Gênero e Cidadania da Câmara dos Deputados

Entre os dias 24 e 28 de novembro o LabHacker organizou, em Brasília, o Hackathon de Gênero e Cidadania da Câmara dos Deputados. Seu objetivo foi o de desenvolver soluções para o combate à violência contra a mulher e as políticas de gênero e cidadania. 

 

Dos 165 inscrit@s e 75 projetos, foram selecionados 47 participantes, a metade delas mulheres. 
O programa do LabHacker incluiu várias discussões e palestras instrutivas. Houve um encontro como com a bancada feminina, uma palestra da professora Jaqueline de Jesus sobre gênero, e a apresentação sobre accessibilidade por Leondeniz Candido de Freitas.

 

No final do Hackathon foram elaborados 19 projetos focando diversos temas, como o “Parto humanizado, violência contra mulher – “PróMulher“, a concientização sobre o aborto inseguro chamado de “Eu tirei” e o mapeamento de mulheres na técnologia, Grrlhacks.
Dois projetos foram selecionados para participar num evento sobre e-democracia em Washington, financiado pelo Banco Mundial: “Minha Voz que é uma plataforma para acolher vitimas de violência, e “Dona Maria”  que pretende conscientizar sobre as desigualdades de genero existentes no processo eleitoral.

 

A Hackathon de Gênero foi com certeza diferente de outros hackathons, pois a presença de mulheres, especialistas e ativistas no tema de gênero influenciaram o clima do evento. Predominou o espirito colaborativo entre @s hackers que se ajudaram uns aos outros, com o objetivo de promover uma maior igualdade de gênero.

 

Foto: Zeca Ribeiro – Câmara dos Deputados
 Myrthes
Legenda: hackers do projeto Myrthes desenvolvendo um app que conecta vítimas de violência com advogados e psicólogos voluntári@s.

 

Pelo COLAB participaram Jutta Schmidt Machado e Caio Cardoso Lucena, junto com o desenvolvedor Miguel Peixe.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *