Author: Andrés

Encontro de parceiros do projeto Monitorando a Cidade

Ao final de janeiro, em São Paulo, reunimos o incrível grupo de parceiros que estiveram trabalhando no piloto da Fase 2 do projeto Monitorando a Cidade para compartilhar aprendizados do ano passado e discutir os próximos passos para o projeto. Esta equipe multi-setorial de estrelas incluía representantes de organizações da sociedade civil, agências governamentais de supervisão, academia e financiadores de engajamento cívico na América Latina.

Ao longo de vários dias, exploramos os estudos de caso da implementação do Monitorando para discutir elementos de sucesso, lidar com desafios sociais, institucionais e técnicos e explorar como podemos compartilhar melhor nossos aprendizados com um público mais amplo.

Estaremos publicando um relatório mais longo com reflexões sobre esta fase do projeto no próximo mês, mas algumas coisas se destacaram em nossas conversas:

  • Nós somos profundamente afortunados por trabalhar com tão talentosos organizadores sociais como Ivan e Eliana! A sua dedicação, carisma e estratégia são essenciais para os sucessos que vimos em Belém e Santarém.
  • A parceria com agências governamentais de supervisão (Ministério Público e Controladoria Geral da União) tem sido crítica para permitir que grupos da sociedade civil canalizem suas preocupações e monitorem dados em ações concretas.
  • Reunir sociedade civil, academia e agências de supervisão é uma forma poderosa de alavancar as competências, o conhecimento e as redes para enfrentar desafios comuns.
  • Em virtude de ser uma plataforma tecnológica, o Monitorando permitiu aos parceiros alcançar maior escala, economizar tempo, atrair novos participantes e aumentar a cobertura da mídia.
  • É impossível separar o uso do Monitorando do rico contexto de engajamento social. Os êxitos não podem ser atribuídos apenas à tecnologia.

 

Estamos ansiosos para compartilhar nossos resultados em uma variedade de meios ao longo dos próximos meses, incluindo posts, artigos acadêmicos e eventos em São Paulo e Belém. Somos infinitamente gratos por ter a oportunidade de trabalhar e sonhar com esta equipe e mal podemos esperar para ver as colaborações futuras que emergerão deste grupo!

Um enorme obrigado a essa equipe incrível:

 

Eliana Mara, Projeto SOL
Lidiane Dias, Universidade Federal do Pará
Marcelo Morais de Paulo, Controladoria Geral da União
Ivan Costa, Observatório Social de Belém
Gisele Craveiro, Universidade de São Paulo Colab
Andres Martano, Universidade de São Paulo Colab
Marisa Villi, Universidade de São Paulo Colab
Paulo Rezende, Humanitas360
Emilie Reiser, MIT Center for Civic Media

(traduzido de: Promise Tracker)

Visita ao movimento de Santarém engajado com a merenda

encontroSantarem

Santarém

Esta semana tivemos a honra de nos encontrar com os líderes do impressionante Movimento Pacto Estudantil pela Educação no Pará, que têm, ao longo dos últimos meses, monitorado merendas através do Promise Tracker. O movimento nasceu em outubro de 2015 de uma iniciativa de engajamento com jovens, o Projeto SOL. Depois de uma história ímpar de articulação escolar, estudantes de 14 escolas de Santarém juntaram forças para levar ao escritório do Ministério Público suas preocupações para com as condições de suas escolas. Eles foram recebidos pela promotora local e estabeleceram um diálogo buscando solucionar as questões, que incluem reparos nas escolas, segurança, espaços pedagógicos e merenda.

Na terça-feira chegamos à cidade de Santarém, Pará, onde as águas azuis e cor de argila dos rios Tapajós e Amazonas se encontram. Em um auditório disponibilizado pelo Ministério Público, nos reunimos com um grupo de 23 estudantes de ensino médio e professoras de 5 escolas públicas da cidade para aprender sobre suas estratégias de organização e como a coleta de dados pode impactar seu trabalho.

Durante o encontro fizemos uma série de atividades para explorar a concepção dos participantes sobre dados, mapear os principais atores e aliados na questão da merenda, entender o conjunto de ferramentas que o grupo utiliza para se organizar, e analisar os resultados atuais da campanha no Promise Tracker. Além de compartilharem alguns dos desafios técnicos encontrados, os estudantes discutiram como aprimorar a estrutura das questões para facilitar o uso da campanha e tornar a interpretação dos dados mais intuitiva. Depois do encontro visitamos 3 das escolas representadas para ver com nossos próprios olhos o que está sendo servido aos alunos e as condições nas quais a comida é armazenada e preparada.

encontroSantarem2

Além de acompanhar o que está sendo servido, os estudantes estão cada vez mais interessados em explorar algumas das questões relacionadas aos problemas da merenda, como fornecimento irregular ou incompleto de suprimentos, falte de freezers para armazenar os perecíveis, falta de pessoal, e desafios com o controle de pragas nas salas de armazenamento dos alimentos. Nas próximas semanas o grupo estará refinando a campanha atual e experimentando novas iniciativas de coleta dados para monitorar a chegada de ingredientes e suprimentos.

Tem sido inspirador ver a energia e a incrível dedicação de tanto estudantes e professores que têm transformado frustrações quanto a condição escolar neste vibrante e organizado coletivo. Nos sentimos imensamente agradecidos pela oportunidade de trabalhar ao lado de grupos como este para explorar a relação entre novas ferramentas tecnológicas e a organização social. Um agradecimento especial para Eliana Mara por nos acolher em Santarém e por sua incansável dedicação à vida dos jovens da cidade. Nos últimos 20 anos ela ensinou e orientou mais de 15.000 estudantes em Santarém e foi um prazer poder testemunhar parte do impacto que ela teve para esses indivíduos e suas comunidades.

Estamos ansiosos para retornar a Santarém neste verão, nos reencontrar com os estudantes e discutir seu progresso. Abaixo algumas notícias da mídia local sobre o trabalho dos estudantes quanto a essa questão:

encontroSantarem3

Parceria com Centro de Mídia Cívica do MIT

Seminario sobre Tecnologia

Desde 2015 o Colab tem tido a oportunidade de participar do projeto Monitorando a Cidade, desenvolvido pelo Centro de Mídia Cívica do MIT (CCM), que se trata de uma plataforma para coleta de dados colaborativa visando a criação de campanhas cidadãs.

Estamos agora muito animados com a segunda fase do projeto no Brasil que, em parceria com o Humanitas360 e diversos parceiros da sociedade civil, busca desenvolver estudos de caso do uso do Monitorando a Cidade em diferentes cidades e explorar novas metodologias para avaliação de impacto.

Ao longo do ano passado e primeiro semestre desse ano o projeto atuou em parceria com a Rede Nossa São Paulo e organizações pelo país que compõe a Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis, buscando assim desenvolver e testar a primeira versão da ferramenta Monitorando a Cidade. Através de uma série de oficinas o projeto colaborou com grupos locais para, de acordo com suas prioridades, criar campanhas piloto de monitoramento de infraestrutura e serviços públicos, aproveitando o processo para colher sugestões e avaliar a ferramenta.

Conforme a ferramenta Monitorando a Cidade vai além dessas oficinais iniciais e começa a ser adotada e usada por diversos grupos, estamos interessados em entender como ela pode ser útil a eles e até que ponto pode ajudá-los a alcançarem seus objetivos. Estaremos então trabalhando junto ao CCM para documentar iniciativas de monitoramento, buscando desenvolver um arcabouço participativo que ajude grupos a compreender seus próprios objetivos, aprendizagens e avanços.

O Centro de Mídia Cívica do MIT é um grupo de pesquisa que estuda e desenvolve novas tecnologias para facilitar a participação e engajamento cidadão. O grupo trabalha colaborativamente com diversas comunidades pelo mundo para criar e avaliar ferramentas que estimulam a coleta e divulgação de informação para a ação cidadã. Por meio de seus projetos, o centro explora sistemas para analisar o ecossistema de mídia e amplificar as vozes de grupos marginalizados.

Através desse processo estamos muito animados ao reunir pesquisadores, ativistas, financiadores e desenvolvedores, aprendendo com a experiência e estratégia de grupos da sociedade civil, refletindo sobre como desenhar e implementar novas tecnologias para uma mudança social. Pretendemos publicar mais informações em breve!

Plataforma desenvolvida na EACH vence prêmio de informática e inovação na gestão pública

Publicado em: http://each.uspnet.usp.br/site/conteudo-imprensa-noticia.php?noticia=1988

Mais um projeto desenvolvido por alunos e professores da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP saiu vitorioso de uma premiação. Dessa vez o grande campeão do Prêmio do Congresso de Informática e Inovação na Gestão Pública (CONIP) 2015 foi o projeto Diário Livre, elaborado pelo Colaboratório de Desenvolvimento e Participação (Colab) da EACH.

A plataforma, vencedora da categoria “Governo Aberto”, é uma versão em formato aberto e colaborativo do Diário Oficial da Cidade de São Paulo, permitindo consultas mais ágeis, além da análise e o cruzamento de grandes massas de dados. Fruto de uma parceria firmada com a Controladoria Geral do Município (CGM-SP), a ferramenta disponibiliza o conteúdo do Diário Oficial, como leis, portarias, decretos, nomeações, editais de licitação, entre outras informações, e agiliza o trabalho de gestores públicos, ampliando a transparência e permitindo novas aplicações com os dados abertos.

“O prêmio mostra que o projeto não é somente uma parceria entre um grupo de pesquisa e um órgão público, ele é uma experiência de governo aberto, já que na sua metodologia de construção houve a preocupação de promover a participação de diversos atores sociais”, destaca a professora Gisele Craveiro, do curso de Sistemas de Informação, que desenvolveu a plataforma com o professor José Pérez Alcázar; Andrés Martano, mestrando em Sistemas de Informação; e Rafael Santana, ex-aluno de Sistemas de Informação.

Atualmente a plataforma é um protótipo e está na infraestrutura do grupo de pesquisa da EACH, que está dando apoio para sua implantação completa na administração pública municipal. Segundo a professora Gisele, o Diário Livre tem recebido em média 32 mil acessos diários, comprovando o quanto a cidadania está interessada em obter acesso às informações públicas e também o quanto a solução implementada é robusta.

Neste ano trabalhos do Brasil inteiro estavam concorrendo ao 18° Prêmio CONIP, que premia os melhores projetos que utilizam a tecnologia da informação para a melhoria dos serviços públicos. A premiação identifica e divulga as iniciativas de modernização da administração de todas as esferas governamentais, bem como ONG’s e fundações que contribuem para o fortalecimento da cidadania e da gestão pública.

Acesse o Diário Livre.

Exploring the impacts of web publishing of budgetary information at the sub-national level in Brazil – The case study of the Cuidando do Meu Bairro (Caring for My Neighborhood) Project in São Paulo

Download the complete document!

 

Executive summary

The Transparency Law in Brazil forces all public entities to web publish detailed budget data in real time. This law started in 2009, and 2013 was the final deadline for more than 5,500 Brazilian municipalities to comply with this legislation. There is a lack in the literature about how public managers and civil society organizations deal with budgetary data.

In this project, we analyze the uses of a tool Cuidando do Meu Bairro (Caring for my neighborhood) that geocodes expenditures from open budget data. The aim of this project is to understand how access to budget information affects the relationship between civil society and public administrators in district/municipal level. Following this, we have these research questions:

– Is budget data geolocation effective for better control and supervision over the

use of public resources?

– Can this project contribute to the engagement or empowerment of citizens?

– Better access to budgetary information can influence the construction of

policy agendas within social organizations?

To have the answers, we carried out three workshops gathering around 250 social leaders, grassroots movements and interested citizens. In these occasions budget concepts were explained with the help of the tool. We also interviewed in depth a participant sample and public managers.

Despite the fact that budget data provided by São Paulo municipal administration has no lat./lon. coordinates, the Cuidando do Meu Bairro tool searches for textual elements that can give some detail about the location of expenditure and generates a geo-coded dataset.

However, many budget activities are described in an aggregated/generic way. This prevents the Cuidando do Meu Bairro being presented as a tool to track and monitor public budget implementation in full. Insufficient data quality could frustrate peoples initial interests and motivation to use the tool. However, very positive feedback was received from the use that could be made of the tool, including among others: invitations to give workshops and to replicate the project in other cities, a MoU with São Paulo public administration and nationwide recognition given by Brazilian media and Google Global Impact Challenge-Brazil prize. Due to these results, we conclude that budget geo-location is a good strategy to make difficult and/or abstract budget concepts, data and information more accessible to a wider audience.

The project interviews and outputs raise a series of new questions. First of all, the civil society ecosystem and the quality of its components and connections may counterbalance poor data quality supplied by governments. Results suggested the importance of better understanding the role of intermediaries and consumers, as well as their context. Besides the heterogeneity inside each category, their role can interchange depending on the situation, disrupting the static notion of passive-active relationship. In order to understand how actions and impacts are achieved is also important to understand which are the steps of data transformation, information and knowledge generation carried out through interaction of particular consumers and intermediaries.

Other important findings come from the supply side of public sector information, represented through an iceberg metaphor. The visible published open data masks deeper underlying resource, process and cultural issues and constraints which potentially make open data initiatives unsustainable. On the other hand, moving towards open data can lead to changes in these underlying and hidden process, leading to shifts in the way government handles its own data.

The project has completed its first cycle of development with some important accomplishments and lessons learned both from the demand side (civil society organizations, academia and hacker activist) and the supply side. Using an action research methodology, the authors have worked since data collection and tool development stages: presenting and discussing budget data and public policies with civil society organizations and grassroots movements. In this scenario we could see that open data clearly disrupted the Data-Information-Knowledge value relationship, where the value of Data-in-use can be as important as the value of knowledge. Traditionally, consumers are presented with information (statistics) and knowledge, but increasingly consumers or intermediaries want to get access to the data at the core.

More research work has to be done to fully address the issue of open data impact assessment methodologies, in particular, focusing on the intermediary ecosystem, rather than starting from data and tracing down.

Lançamento do site Diário Livre e da parceria entre Colab e CGM-SP

Controladoria Geral do Município e Universidade de São Paulo anunciam projetos voltados para a ampliação da transparência das informações municipais

Em evento realizado no dia 13 de novembro, Fabiano Angélico, coordenador de Promoção da Integridade da CGM-SP, e Gisele Craveiro, professora do Colab-USP, apresentarão o Diário Oficial em formato aberto, primeiro produto da parceria

A Controladoria Geral do Município (CGM-SP) e o Colaboratório de Desenvolvimento e Participação (COLAB) da Universidade de São Paulo promovem no dia 13 de novembro, das 18h às 21h, na Galeria Olido, um evento para apresentar cinco projetos voltados para a ampliação e o aperfeiçoamento do acesso às informações de interesse público detidas pelo Município de São Paulo. As iniciativas são fruto de um convênio firmado entre a CGM-SP e a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP).

>>> Clique aqui para se inscrever no evento
O primeiro projeto, já em fase de desenvolvimento, é o “Diário Livre” uma plataforma que disponibiliza o Diário Oficial da Cidade de São Paulo em formato aberto e acessível por máquinas. A plataforma facilitará a consulta sobre leis, decretos, portarias, editais de licitação, nomeações e exonerações e outros atos administrativos da Administração Pública Municipal direta e indireta, da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas do Município.

Na primeira etapa do projeto (clique aqui e acesse o “Diário Livre”) foram reproduzidos no novo formato todos os dados publicados no Diário Oficial da Cidade de São Paulo entre 2003 e 2013. Representantes dos movimentos sociais, do segmento empresarial, do meio acadêmico, do governo e da sociedade civil serão estimulados a analisar a nova plataforma e propor melhorias.

Para o coordenador de Promoção de Integridade da CGM-SP, Fabiano Angélico, a nova plataforma é um exemplo concreto de governo aberto, que integra transparência, participação e inovação tecnológica. “O ‘Diário Livre’ facilitará desde pequenas consultas, com a possibilidade copiar o texto corrido e colar em qualquer outro programa, até a análise de grandes massas de dados. Será possível, por exemplo, listar todos os funcionários indicados para cargos de comissão e cruzar essa listagem com denúncias de corrupção ou com processos abertos no Tribunal de Contas ou no Judiciário. Ou ainda sistematizar atos com maior potencial de risco de corrupção com base em matrizes de risco, como nos casos de contratos celebrados com dispensa de licitação”, destaca Angélico. “A sistematização dos dados também poderá contribuir para o fortalecimento da gestão municipal. Trabalhando as informações sobre os editais, a Administração poderá estimular a concorrência e reduzir os preços”, acrescenta.

As sugestões recebidas na primeira etapa do projeto serão analisadas e incorporadas. A versão final do “Diário Livre” será submetida à Administração Municipal e poderá servir de base para a reformulação do Diário Oficial da Cidade de São Paulo.

O segundo produto decorrente da parceria será um estudo que dará subsídios para o aperfeiçoamento da política integrada de acesso à informação no Município. Serão analisados, entre outros aspectos, as práticas mais adequadas com relação aos direitos humanos no ambiente digital (intimidade, privacidade e liberdade de expressão), alternativas de licença para o uso de informações protegidas por direitos autorais e a relação entre informação e desenvolvimento humano segundo os três componentes do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

O terceiro projeto será uma ferramenta para disponibilização das informações sobre as parcerias firmadas pela Prefeitura de São Paulo com entes privados, na qual serão detalhados os repasses e a forma de utilização dos recursos públicos.

O quarto projeto prevê a sistematização das informações sobre os imóveis cedidos pela Prefeitura de São Paulo a outros órgãos.

Por fim, será realizado um estudo de referências técnicas para a criação do novo Portal da Transparência do Município.

Lançamento da Parceria – COPI-CGM e COLAB-USP
Data: 13 de novembro de 2014
Horário: das18h às 21h
Local: Galeria Olido – Av. São João, 473 – 8º andar
Inscrições gratuitas – clique aqui para se inscrever

 

FONTE: Prefeitura de São Paulo